Muito ansioso? Aprenda a controlar a ansiedade no dia a dia

Como controlar a ansiedade no dia a dia

Parece que o mundo está “bombado”. As pessoas vivem cada vez mais sob a influência de remédios sintéticos. A prescrição de ansiolíticos, que são medicamentos para diminuir a ansiedade excessiva, tem sido algo assustador. Segundo o Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (http://www.obid.senad.gov.br), 3,3% da população brasileira entre 13 e 65 anos de idade e 4,1% entre estudantes já fizeram uso de tranquilizantes pelo menos uma vez na vida. Quais alternativas poderiam ajudar as pessoas com ansiedade excessiva a evitar o uso abusivo destes medicamentos?

Aceitar é o primeiro passo

Primeiramente, é fundamental a aceitação de que há algo na vida que produz a ansiedade e entender que aceitar isso não corresponde a concordar, mas admitir o fato, sem que se busque, por meio de remédios controlados, fugir da realidade. A ansiedade excessiva pode ser a “luz vermelha” indicando que há algo em sua vida que necessita de mudança ou ajuste.

Depois, é importante olhar para fora de si mesmo em vez de se concentrar na sensação da ansiedade que você experimenta. Pense que você não é a ansiedade, mas ela é algo que está em sua mente. Você consegue pensar nela, mas desenvolvendo a capacidade mental de lidar com ela.

Como a ansiedade se manifesta?

Considere o fato de que todas as pessoas são ansiosas. Portanto, o objetivo não deve ser o de eliminar a ansiedade, mas perceber como ela pode ser diminuída, caso esteja sendo exagerada. A ansiedade excessiva pode se manifestar de forma explícita, ou seja, inquietude, sensação de vazio, aperto no peito ou mesmo através de outros transtornos, como a fobia (medo exagerado), transtorno obsessivo-compulsivo (pensamentos obsessivos sobre contaminação e arrumação que levam a atos compulsivos os quais atrapalham o comportamento da pessoa) e crises de pânico.

Confira abaixo as dicas que vão ajudar você a controlar a ansiedade:

Diminua o ritmo

Outra atitude que pode ajudar é, em vez de ficar parado e assustado com a ansiedade ou angústia exagerada, tomar uma decisão como: diminuir o ritmo do trabalho; realizar as tarefas dentro de seus limites e possibilidades; nesse período de sofrimento ansioso, não exigir nem cobrar de si o mesmo desempenho de antes.

Desenvolva hábitos saudáveis

Fisicamente, a qualidade da respiração é fator importante. Pessoas muito ansiosas respiram mal. Por isso, periodicamente, ao longo do dia, respire profunda e lentamente cinco ou seis vezes seguidas, puxando o ar pelo nariz e soltando-o lentamente pela boca.

Verifique sua dieta. Alimentos com cafeína, por exemplo, podem intensificar a ansiedade. Portanto, elimine-os. A prática de atividade física, especialmente ao ar livre, como caminhadas, preferencialmente, em meio à natureza também contribui para o alívio da ansiedade excessiva.

Seus pensamentos controlados

Finalmente, examine seus pensamentos. Uma pessoa excessivamente ansiosa tem tendência de exagerar as coisas e se concentrar em problemas que não ocorreram e que, provavelmente, nem cheguem a ocorrer. Então, não procure vivenciar situações trágicas que não existem senão em sua mente. Procure analisar friamente se seus pensamentos, que com frequência só aumentam sua ansiedade. Eles têm base real? São razoáveis? São fundamentados numa verdade ou numa suposição? Você tem provas concretas de que eles são verdadeiros? Ou são produzidos apenas por uma mente ansiosa que imagina coisas?

Essas atitudes, se praticadas com perseverança, humildade e determinação, podem contribuir significativamente para reduzir a ansiedade e, talvez, evitem a necessidade do uso de medicação sintética, ou reduzam o tempo de uso, além de evitar a administração de altas doses.

Aproveite também para conferir o post que fala sobre viver com esperança como importante fonte de motivação na vida.

por Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

1 comentários
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like